Quem nos acompanha no Instagram viu pelos stories os trekkings maravilhosos que fizemos no Ushuaia (está tudo salvo nos destaques <3). E de todos eles a Laguna Esmeralda foi a nossa preferida.

Nós estávamos com muita expectativa para conhecer a Laguna Esmeralda, afinal somos encantados por atrações naturais e essa era uma das principais.  Queríamos fazer em um dia de sol para ver ela em todo seu esplendor, esperamos alguns dias chuvosos, e como não havia previsão de sol pela frente, saímos em direção a laguna assim que o tempo estiou. E ainda bem que as coisas não saem como o previsto, já aprendemos que quando isso acontece tem grandes chances de ser muito melhor do que o planejado, e este desta vez não foi diferente!

O Marcel disse que eles não tiveram muita dificuldade em colocar o nome na Laguna, e é verdade, uma grande laguna cor de esmeralda, com uma cachoeira onde inicia um rio que tem águas ora azuis ora verde, rodeada de grandes montanhas rochosas com picos nevados e um grande glaciar, sim é incrível. A água da Laguna é de degelo do Glaciar Ojo del Albino, a coloração verde ocorre pelos minerais presentes nas rochas que são carregadas para a água durante o degelo.

A trilha tem ao total 9,6 Km e o tempo estimado para fazer e voltar é 4 horas.

Lógico que isso é extremamente subjetivo, já que depende do seu ritmo, se você vai parando, velocidade da caminhada, enfim, é só para ter uma ideia. Nós, como gravamos, fotografamos, paramos para contemplar, brincar, tomar agua, comer (hehe) sempre levamos mais tempo. Mas considere por segurança que você precisa de no mínimo 3 horas antes de escurecer. Falamos em todos os posts de trekking, mas é sempre bom reforçar, não esqueça de voltar antes de anoitecer. É extremamente perigoso e desaconselhado voltar de trilha a noite. Lógico que se você estiver com um guia talvez isso não te preocupe, mas como costumamos fazer sem guia é nossa responsabilidade ficar atento a estes detalhes.

Por falar em guia, tem várias agências de turismo que fazem o passeio até a Laguna Esmeralda, nos fizemos sozinhos pois a trilha é de certa forma demarcada (tem pontos que não), mas principalmente pois temos nosso próprio ritmo (com as gravações e fotografias), vi grandes grupos assim como pessoas sozinhas fazendo a trilha. Eu (Ju) acho faria sozinha só em último caso, pois meu senso de direção é péssimo e teve horas que não tinha sinalização nenhuma do caminho, mas junto com o Marcel foi tranquilo. No inverno acho que faríamos com agência já que a neve pode aumentar muito o nível de dificuldade (passamos por pequenos lagos congelados que com neve podem se tornar uma armadilha).

O importante é não deixar de ir, porque é realmente um destino imperdível.

Como chegar

A trilha inicia em um estacionamento gratuito para deixar o carro, a margem da Ruta 3, única estrada que leva até a cidade do Ushuaia. O estacionamento está a 19km do centro da cidade.

Se não estiver de carro na cidade é possível pegar um transfer em vans, elas saem do terminal na Av. Maipú, essas vans têm vários pontos da cidade incluindo o Cerro do Glaciar Martial 😉 como eles tem horários marcados é melhor se informar um dia antes 😉 o valor do transfer ida e volta estava ARS 300,00. Também é possível pegar táxis, mas acredito que o valor seja mais alto e sempre tem a opção de pedir carona (hacer dedo como dizem), uma prática muito usada na Patagônia. Uma dica para carona é tentar pegar na entrada da cidade, pois os carros reduzem e param no posto de polícia, então fica mais fácil de ser visto e de alguém parar (além de ser mais seguro).

A estrada até lá é lindíssima e você já vai se inspirando.

A Neve

Antes de entrar em detalhe sobre a trilha, deixa eu compartilhar a minha felicidade. Quando chegamos ao estacionamento começou a nevar e foi aquela alegria. Tínhamos pego um pouquinho de neve no Glaciar Martial, mas nada comparado a quantidade de neve que estava caindo, foi lindo e muito emocionante para nós que estávamos presenciando aquilo pela primeira vez. Durante toda a trilha nevava por alguns minutos e depois parava, o caminho ficou incrivelmente mais belo com neve, todo lugar nos arrancava suspiros.

Nós já estávamos com as jaquetas impermeáveis quando saímos de “casa” (da casa da Moni), mas quando começou a neve resolvemos colocar as calças impermeáveis (ao estilo de motociclista) e isso fez toda a diferença, pois choveu muito nos últimos dias e pegamos muita, mas muita lama na trilha. Tinha lugares que não tinha caminho que não afundasse o pé na lama quase até o tornozelo. Fica a minha indicação para botas impermeáveis, a minha não era e fiz grande parte da trilha toda com os pés molhados.

Também indicamos muito o uso de bastões de caminhadas (mesmo que seja apenas um, como nós usamos), eles ajudaram bastante na trilha já que o terreno estava alagado e nunca sabíamos onde podíamos pisar.

Seguro Viagem: América do Sul
TA 40 Especial - Internacional Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.200 R$ 10/dia*
AC 35 INTER Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 13/dia*
AT 40 INTER Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.500 R$ 11/dia*

A Trilha

  • 1º Parte

A trilha começa em um bosque lindo, essa primeira parte não tem como se perder já que o caminho é bem demarcado, foi ai que a neve começou a apertar e rapidamente tudo ficou branquinho.

  • 2º Parte

Saímos do Bosque e chegamos a uma clareira linda, com sol! Sim sol e neve, vai entender o tempo na Terra do Fogo! A visão das montanhas iluminadas pelo sol, as árvores com as folhas coloridas e o caminho branquinho de neve são imagens que levaremos sempre conosco.

Caminhamos e chegamos a uma área aberta, onde é possível ver bem certinho as montanhas que estavam a frente, uma placa explica certinho qual é qual e o processo de criação delas, algo de milhões de anos atrás.

Naquele ponto também vimos algumas castoreiras (construções tipo represas feitas por castores), não chegamos a ver nenhum castor, pelo ouvimos eles aparecem no entardecer/noite.

  • 3º Parte

Essa parte apelidamos de lama no bosque, o nome diz tudo, hehe. A turba nesta parte está ainda mais fofa, tem muita lama e a trilha é meia confusa, nos “perdemos” por uns minutos, na verdade não nos perdemos mas eu desconfiei que o caminho não seria aquele devido a quantidade de lama e tal, mas sim, aquele era o caminho e logo percebemos que estávamos no caminho certo.

  • 4º Parte

Essa é a pior e mais bonita… sempre assim né?

Você sai do bosque de lama e chega a um lugar aberto, com um rio super lindo originário da Laguna Esmeralda, ali você ja tem uma amostra da laguna. Essa parte é a mais difícil porque inicia a subida propriamente dita e quando fomos não tinha uma trilha definida, vimos pessoas indo por um lado, outras por outros, outras voltando de outro… é um grande banhado e cada um faz um caminho. Passamos por pequenas lagoas congeladas e apesar da dificuldade em sempre ter que cuidar onde pisa, a paisagem toda é muito bonita.

A Laguna Esmeralda

Chegamos a laguna no meio de uma nevasca, ventava forte e caia neve como nunca tínhamos visto, quando chegamos mal conseguíamos ver ela direito de tanta neve, não levou 15 minutos para a neve parar e sair um sol, a neblina sumiu e a Laguna se revelou para a gente com todo o seu esplendor.

A laguna tem águas esverdeadas e azuis, lindíssima. Ao seu redor lindos montes nevados que refletiam em suas águas, simplesmente incrível. Almoçamos lá e ficamos bons momentos admirando a paisagem. Quando a temperatura começou a baixar (parece que quando a neve começa descongelar é que realmente esfria) resolvemos voltar, felizes e certos que tínhamos conhecido o lugar mais lindo do Ushuaia.

Já foi a Laguna Esmeralda? Compartilhe com a gente a sua experiência. Ficou com dúvidas? Só deixar nos comentários que responderemos o mais breve possível.

Em breve o vídeo deste dia no nosso canal do YouTube. 😉

Planeje sua Viagem


Hospedagem

Confira as melhores ofertas e opções de hospedagem no Ushuaia com o Booking.com 

Seguro de Saúde

Para fazer uma viagem tranquila e segura, lembre-se de adquirir o seu seguro de viagem na SegurosPromo, que compara a cotação de algumas das principais operadoras de seguros do mercado, sempre com os melhores preços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here