Eu confesso que a minha grande expectativa quanto ao Uruguai era finalmente conhecer a tão falada e autêntica Reserva de Cabo Polonio, eu tinha relatos de gente que tinham amado e de gente que tinha detestado na mesma intensidade, eu sempre achei que seria da galera que iria cair de amores pela Reserva Ambiental da Unesco que possui a maior colônia de lobos marinhos do mundo. Mas será?

Percepções

A melhor definição para Cabo Polonio, na minha humilde visão, é: local de natureza intocada com uma atmosfera autêntica. Não espere luxos, comodidades de cidade grande ou estrutura, mas usufrua da natureza, do sorriso fácil de seus poucos habitantes e da calmaria que somente um local isolado assim pode te proporcionar, deixe o celular de lado assim como a preocupação com a aparência, a única coisa que importa aqui é a sua sintonia com a natureza e com você mesmo.

Tudo sempre será uma questão de visão, isso é individual e intransferível, se o Marcel escrevesse este post com certeza ele seria totalmente diferente. Polonio desperta sensações únicas, minha dica geral para este lugar é venha e viva essa experiência e assim tire suas próprias conclusões, observe o que ele despertará em você.

Fiz um resuminho de alguns pontos que acho importante compartilhar para que você consiga organizar sua viagem e conhecer melhor sobre o local, enjoy 😊

A reserva de Cabo Polonio

Cabo Polonio é uma área de preservação ambiental permanente, possui 25.800 hectares. O acesso de veículos é controlado assim como novos habitantes. A pequena vila possui vários hostels, alguns restaurantes e barzinhos, uns dois mercadinhos, uma única enfermaria e as casinhas dos moradores, tudo muito simples, mas com muita personalidade.

Localização da entrada do Parque

Esta localizado no departamento de Rocha, acesso pela Ruta 10 km 265.

Como Chegar

Só pode circular veículos autorizados, então para chegar até lá tem as seguintes opções:

  1. Acredito que é a mais utilizada, ir até a entrada da reserva e lá pegar um caminhão 4×4 que irá te levar até a vila de Cabo Polonio, achamos uma das partes mais divertidas do passeio já que o caminhão é tipo aqueles “pau de arara” e fomos em cima apreciando o passeio e a vista. Ele passa no meio das dunas, na praia… achamos muito legal. Se conseguir pegue os primeiros lugares em cima, lá o passeio é com mais aventura. Para voltar não precisa marcar horário, só chegar no ponto de embarque e desembarque e pegar a fila de volta, mas fique atento pois não são 24 horas ;). Valor por pessoa ida e volta: UYU$260
  2. Fazer o percurso caminhando, você economiza o valor do caminhão, porém leva mais tempo, são 7km e a caminhada é em grande parte em areia fofa, em casos como o nosso de ficar apenas um dia acredito que não vale a pena, mas é uma opção.
  3. Chegar caminhando pelas praias vizinhas, já me falaram da trilha que fazem da Barra Valizas, balneário que fica ao lado de Cabo Polonio.

Quantos dias ficar

Vimos todos os atrativos em um dia, mas Cabo Polonio não se trata disso, muito pelo contrário, Cabo Polonio é para desligar, se desconectar, reduzir o ritmo… então conhecemos pessoas que ficaram 3 dias, 10 dias, 1 mês… depende muito da sua proposta, do tempo disponível e orçamento. Nós fizemos em um dia e já conseguimos viver um pouco da atmosfera local, não ficaríamos mais devido aos custos, como estamos viajando low cost, cozinhamos e dormimos na Grandonna, qualquer lugar que não permita isso aumenta os nossos custos. Em resumo, não existe uma resposta para quantos dias ficar em Cabo Polonio, vá e descubra o que é ideal para você.

Principais Atrações

Farol

Cabo Polonio teve suas origens de um naufrágio em 1735 de um galeão espanhol chamado “Polonio” o que originou o nome, os primeiros habitantes da reserva foram os tripulantes de Polonio, a questão é que o local foi palco de muitos naufrágios, diz a lenda que as bússolas se perdiam naquela região, tal qual o Triângulo das Bermudas, e que o mar bravo repleto de rochedo fez tantos barcos naufragarem que é normal andar pelas praias e ver submergir restos destes navios.

Com isso, a construção do Farol de Cabo Polonio foi um grande marco para a navegação da região, a notícia de sua inauguração em 1880 estampou os principais jornais do mundo no velho continente, o farol tornou-se os olhos dos capitães das embarcações, que tanto temiam a região, durante as noites.

Hoje o farol continua funcionando e é possível subir nele, esse foi um dos pontos altos do nosso dia, a entrada custo UYU$ 25. A subida pode ser um pouco claustrofóbica, são 40 metros, mas a escada em caracol com as paredes estreitas pode parecer interminável, pelo menos para uma sedentária como eu hehe. Mas chegando lá a vista compensa e muito, de um lado avistamos o mar, as grandes pedras com os leões marinhos, belíssimo. Do outro lado se avista a vila de cima, e aí você tem a noção exata de como ela é pequena, perto da imensidão de suas grandes dunas e do mar a sua frente, ali de cima Cabo Polonio parece ainda mais intocada.

Colônia de Leões Marinhos

Simplesmente a maior colônia de leões marinhos do mundo, é uma atração imperdível sentar nas pedras e ficar observando esses fascinantes e gigantes animais, eles me parecem tão desengonçados na areia, mas se mostram ávidos nadadores na água, fazem barulho, brincam e brigam entre si, nos divertimos observando eles.

Praia Las Calavera (Playa Norte)

Uma praia de pescadores, no canto possui vários barquinhos na areia que dão charme à praia que possui extensas faixas de areia, mar com águas claras e geladas.

Playa Sul

Praia de mar agitado, ideal para surfistas, há algumas escolinhas de surf assim como aluguel de pranchas, é normal ver o pessoal pescando também.

Ruas da Vila

Considero uma atração pois não é sempre que você vai a um lugar sem estradas, sem energia e com tanta gente sorridente e “de boas”, espere muitos barzinhos e restaurantes coloridos, caminhos de areia de praia, vários mochileiros vendendo artesanatos, brincos e maconha, apesar da venda desta ser mais velada. O Uruguai liberou faz pouco tempo a venda da maconha.

Espere ambientes rústicos, com uma pegada roots mas com precinhos um tanto caros que destoam um pouco da simplicidade e proposta do destino, opinião pessoal. Mesmo assim, não deixe de visitar as ruelas da vila.

Uma História Inspiradora

De tudo que li sobre Cabo Polonio a história que mais me marcou foi a de Tereza, uma jovem de 19 anos que chegou em Polônio em 1968 com seu marido, nessa época eu só imagino o quanto o local devia ser inóspito e isolado.

Ela, que antes morava em Montevideo, chegou a Polonio e se assustou com o fato de que as crianças não iam a escola e que tampouco os adultos tinham alguma escolaridade. Com isso, resolveu começar a dar aulas para as crianças, formando assim a primeira escola de Cabo Polônio. Como o local não tinha nenhuma estrutura Tereza resolveu ministrar suas aulas no farol. Aos poucos, além das crianças muitos adultos na maioria pescadores começaram a frequentar suas aulas, Tereza ficou carinhosamente conhecida com a “maestrinha do farol”.

Eu amo histórias de pessoas que fazem a diferença mesmo em um cenário desfavorável, nesse caso uma pessoa com atitude e propósito mudou a vida de tantas outras, inspirador!

Planeje sua viagem com a gente! <3

  • Ganhe nosso desconto em seguro de viagens, acesse aqui!
  • Encontre as passagens mais baratas aqui!
  • Reserve a melhor hospedagem com melhor preço aqui!

E você já conheceu um lugar tão diferente como Cabo Polonio? Compartilhe com a gente! 😉

Abraços.

Ju & Marcel

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here