Dia 01

Ja começamos a considerar muito esse parque quando ele serviu de abrigo para a gente pernoitar na primeira noite no Uruguai, depois de tentarmos dormir em El Cochilla e sairmos correndo após uma situação um pouco assustadora com uns motoqueiros, o parque Santa Teresa salvou o dia ou melhor a noite, sua guarita era guardada pelo exército. Eles nos deixaram dormir ali na frente de graça, mesmo tendo camping pago dentro do parque. Foram nossos anjos aquela noite.

Mas voltando ao parque, hoje podemos afirmar com toda certeza que ele foi a grande surpresa do Uruguai. Acordamos com o som das caturritas, um dia lindo, palmeiras gigantes, aquela paisagem iria nos acompanhar por todo o Uruguai, ficamos maravilhados. Entramos no parque cedinho e descobrimos que para entrar e passar o dia a entrada é free, só é pago para se hospedar ou acampar.

Assim que entramos paramos na Central de Informações para Turistas para pegar o mapa do parque, super recomendo fazer isso, o parque é bem grande e ai vai ver que vai precisar de mais de um dia para curtir e conhecer tudo.

Começamos pelo roseiral que ficava logo em frente onde tínhamos estacionado a Grandonna, várias espécies de rosas todas catalogadas a disposição para olhar e apreciar, na sequência fomos conhecer o que eu considero a pérola do parque, o invernáculo. Na nossa ignorância, não sabíamos o que esperar de um invernáculo, e foi muito engraçada a nossa reação de Ualll, que lindo!! Dois lagos artificiais negros, cobertos de flores de lótus, delimitavam o caminho até uma estufa toda feita de Pedra e vidro, muito bonito, ficamos um bom tempo ali fora curtindo a vista, fotografando… eu nunca tinha visto uma flor de lótus de perto, elas são ainda mais bonitas presencialmente.

Quando entramos no invernáculo, encontramos muitas espécies de plantas, cascatas, aquários, folhagens, flores, uma jardinagem impecável. aliás, o parque todo é muito bem cuidado.

Próximo ao invernáculo, tem uma ponte que leva a uma pequena cascata artificial que possui uma lojinha de artesanato e doces, próximo ao local inicia uma trilha por uma passarela de madeira que te leva a um mirante entre a mata, grande destaque para os pássaros, nessa trilha é possível avistar muitas revoadas e pássaros diferentes, muito legal. Como um lugar distante e ali a natureza fala mais alto, cantos de pássaros, as folhas das arvores balançando com o vento, enfim, um lugar para relaxar e admirar.

Conhecemos esta parte e pegamos o carro para desbravar o resto, o parque possui mais de 3.000 hectares e mais de dois milhões de árvores. E tem até ônibus que passa dentro dele, nós fizemos todo o caminho com a Grandonna, entre os caminhos seguimos uma placa que que indicava Pajarera, não sabíamos o que significava mas queríamos descobrir (estávamos sem internet).

Chegamos em uma área grande, com muitas árvores e muito espaço para estacionar, alguns carros estacionados fazendo churrasco ou parrilla, já era perto do meio-dia, falei que um dia é pouco hehe.  Logo descobrimos que Pajarera referia-se a um mini zoológico, no caso deles mais focado em aves e macacos, nós não curtimos muito Zoo fechado, mas não deixa de ser uma atração do parque.

Para a nossa alegria tem uma parte do Zoo em que os animais estão soltos, como antas, capivaras, bodes, cavalos, javalis….  e até um cervo, lindo e sereno.  Esta parte nós já curtimos mais, soma tudo isso a um lago bonito e as grandes revoadas de caturritas.

Nesse dia almoçamos embaixo das árvores, na área de estacionamento. Uma dica: leve comida, lanches, sanduíches, se empolgue e faça um piquenique, tem espaço e vai dar um up no seu passeio. No parque tem alguns mercados, mas não espere grande coisa, são bons para pequenas compras.

Saindo do Zoo fomos em busca da Fortaleza de Santa Teresa que deu origem ao Parque, o parque só nasceu da vontade de preservar a fortaleza e seu ambiente externo, quando chegamos a fortaleza que é a mais importante do Uruguai, nos surpreendemos com a sua imponência. No alto de um morro ela ganhou ainda mais destaque, uma curiosidade sobre ela é que foi construída para proteger o local dos espanhóis e antes mesmo de ser finalizada foi dominada por eles, e foram eles quem acabaram finalizando a obra e deixando-a mais robusta do que o planejado pelos portugueses. Outra curiosidade é que o comandante que dominou a fortaleza foi o mesmo que tentou tomar Laguna em Santa Catarina e não conseguiu. Estou amando conhecer a história dos lugares que conhecemos, é emocionante imaginar todos os fatos que ali já aconteceram.

A entrada da fortaleza é UYU$40 (Peso Uruguaio), infelizmente estávamos sem pesos trocados e com o tempo corrido, mais indicamos o passeio, já ouvi relatos que bem é interessante.

Tínhamos ideia de voar de drone pelo parque, mas como o parque é uma área militar precisávamos de permissão especial.

Uma das grandes atrações são as praias, o parque possui 4 (La Moza, Las Achiras, Del Barco e Grande) fomos em direção a La Moza (A Moça) e nos deparamos com um letreiro de Santa Teresa de um lado e do outro uma descida que leva a um estacionamento panorâmico da praia.

Achamos a praia bem legal, tem escolinha de surfe, pessoal surfando, lendo na graminha ao lado da praia, pegando sol, a água estava clara e tinha várias ondas, fomos andando até a outra ponta da praia onde tem umas pedras, que dividem com outra praia com as mesmas características.

No pôr do sol, subimos no Mirador de Ballenas que fica próximo ao letreiro de Santa Teresa, lá no alto podemos contemplar a beleza do lugar e o primeiro pôr do sol no Uruguai, foi lindo e tenho certeza que inesquecível. Ah as baleias só chegam na costa em meados de agosto e ficam até outubro.

Mais uma vez dormimos em frente ao parque, no final do dia anterior saímos e pedimos novamente aos militares e eles autorizaram. A noite foi tranquila, fizemos uma janta para comemorar a vida hehe

Dia 02

Acordamos cedinho e entramos no parque novamente para conhecer a Praia Grande.

A praia é linda, calma, tem pequenas ocas feitas de gravetos para o pessoal se proteger do sol, seu mar tem bastante ondas e a água estava cristalina.

Fomos andando para conhecer ela, como é bom andar na praia né?! Ela tem uma longa faixa de areia, muitos cachorros, inclusive tinha uns tomando banho de mar muito de boa, uma graça. Vimos dois barzinhos na beira do mar, mas eles estavam fechados, acredito que seja devido ao final da temporada. Fomos até a ponta da praia onde tem uma parte com pedras que entram para o mar, fazendo com que ali não tenha ondas, o mar estava mais do que convidativo para um banho.

Resolvemos subir nas pedras e ir até as dunas que ficavam no final dela e quando chegamos na ponta avistamos Punta del Diablo, praia que iriamos conhecer a tarde.

Deixamos a praia e fomos em direção à sombra de algumas árvores que tínhamos visto para estacionar o carro e fazer um almoço delícia. Próximo ao acesso da praia tem um mercadinho, mas ele estava fechado quando fomos. Também tem uma estrutura com banheiros, duchas (tem horários com agua quente) e um tanque.

Fizemos o almoço, descansamos e resolvemos desbravar Punta del Diablo, mas isso já é assunto para o próximo post. 🙂

Para se Planejar

Localização: o Parque Nacional Santa Teresa está localizado no Departamento de Rocha, no Uruguai. Pouco mais de 40km do Chuy.

Onde dormir: Possui áreas de acampamentos de barraca e motohome, além de cabanas, casas para aluguel e um hostel.

Onde comer: Localizamos pelo mapa 3 mercados e 3 opções de restaurante, o único que vimos aberto foi o próximo ao letreiro de Santa Teresa, na frente do Mirador de Ballenas. A nossa dica é sempre levar comida para garantir.

O que fazer: O parque possui 4 praias, 2 mirador de Ballenas, roseiral, mini zoológico, invernáculo, Fortaleza de Santa Teresa, locais para pesca e várias trilhas.

Melhor época: Cada temporada tem seus encantos, mas eu acredito que a melhor época é o verão para desfrutar mais das praias.

Horários: para visitação (não pernoitar) entre 8:00 e 20:00, respeite este horário. Na entrada é dado um cartão para cada pessoa, ao sair é obrigatório devolver.

Considerações finais

Achamos o parque ótimo, tanto em atrativos naturais quanto em limpeza, segurança e diversão. Muito legal o fato de não ser cobrado a entrada. Os militares que estão por todo o parque foram extremamente cordiais e prestativos, o local é muito bem cuidado e oferece entretenimento para a família toda. Um lugar que com certeza voltaríamos.

Faremos mais um post com as principais dicas para aproveitar o Parque Santa Teresa, confira!

Seguro Viagem: América do Sul
TA 40 Especial - Internacional Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.200 R$ 10/dia*
AC 35 Inter Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 R$ 15/dia*
AT 40 INTER Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.500 R$ 11/dia*

 

Ah, assista nosso vídeo com nossa experiência no parque.

 

Grandes Abraços.

Ju & Marcel

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here